26/08/2021

Calibragem dos pneus: Entenda como fazer de maneira correta

Uma das tarefas de manutenção de um veículo mais frequentes é realizar a calibragem dos pneus. Mas será que você sabe como fazer de maneira correta?

 

 

Por mais que o procedimento pareça ser bem intuitivo, não faltam casos de pessoas que passaram por problemas ao realizar uma calibragem de forma incorreta, causando desde complicações no alinhamento do carro, até o desgaste irregular dos pneus.

 

Para evitar esse tipo de situação, a informação é sua melhor aliada! Por isso, entenda como fazer a calibragem dos pneus de maneira correta, para que o seu veículo tenha sempre um bom desempenho.

 

Quando devo calibrar os pneus?

 

É muito comum que as pessoas fiquem longos períodos sem calibrar os pneus de seu veículo. Há quem opte por calibrar somente antes de realizar grandes viagens.

 

Porém, a calibragem dos pneus se altera com o passar dos dias. Isso acontece por diferentes motivos, que vão da qualidade das estradas até as condições climáticas.

 

Por isso, o recomendado é calibrar os pneus semanalmente, ou a cada 15 dias. E saiba que, em caso de viagens maiores, mesmo que você tenha calibrado os pneus há menos de uma semana, é importante verificar a pressão antes de pegar a estrada.

 

Além disso, procure sempre fazer a calibragem dos pneus quando eles ainda estão frios, assim que você sair de casa. Se você já tiver rodado um pouco, espere uns 10 minutos para que a borracha esfrie, para então calibrar os pneus.

 

Qual é a calibragem ideal?

 

Cada veículo possui uma indicação de calibragem, que é variável pela estrutura e pelo peso de cada modelo.

 

Para ter uma informação acertada sobre a calibragem ideal, vale consultar o manual do proprietário. Normalmente, as fabricantes apresentam um capítulo completo sobre a calibragem dos pneus.

 

Além do manual, essa informação pode ser encontrada na tampa de combustível do veículo, na lateral da porta, nos próprios pneus ou na tampa do porta-luvas.

 

Você também pode visualizar o dado pela internet, uma vez que muitas fabricantes de veículos disponibilizam o conteúdo do manual em portais virtuais.

 

Não se esqueça do estepe!

 

Na hora de realizar a calibragem dos pneus de maneira correta, muita gente considera somente os pneus que estão em uso. Entretanto, o estepe é tão importante quanto os outros pneus.

 

Como o estepe é mais difícil de ser acessado, especialmente em alguns modelos de carros, ele pode passar por calibragens com menos frequência do que os pneus em uso – mas é bom sempre lembrar dele.

 

O motivo para ter esse cuidado com a calibragem do estepe é simples: você nunca sabe quando vai precisar utilizá-lo. E, quando isso acontecer, você não vai querer ter um pneu que não está nas melhores condições de uso.

 

Pneus que não mantêm a calibragem

 

Um dos principais motivos para manter a calibragem dos pneus em dia é a possibilidade de perceber, com uma certa antecedência, que há algo acontecendo com o pneu.

 

Isso porque, se um pneu que é calibrado da forma correta, com o intervalo de tempo adequado, não mantêm a calibragem, significa que ele pode estar apresentando diferentes falhas.

 

Pneus que não mantém a calibragem podem estar com pequenos furos ou defeitos em sua estrutura, algo que pode acontecer ao passar por algum objeto pontiagudo (de pedrinhas à pregos velhos).

 

Outra possibilidade é um problema na válvula de segurança, a tampinha do pneu, que pode ter caído ou estar mal posicionada.

 

Por fim, a ação do tempo sobre o pneu também pode estar prejudicando sua estrutura. Afinal, pneus com borracha muito desgastada liberam o ar lentamente.

 

Assim, se os pneus do seu veículo estiverem perdendo o ar com muita rapidez, é interessante fazer uma verificação detalhada do pneu.

 

Nitrogênio ou ar comprimido?

 

De uns tempos para cá, muito se falou sobre a calibragem dos pneus com nitrogênio, ao invés de ar comprimido, que é elemento mais comum para a maioria dos motoristas. Mas será que o nitrogênio faz tanta diferença?

 

De fato, pesquisas apontam que o nitrogênio consegue manter a pressão ideal por mais tempo, já que ele não dilata tanto enquanto o pneu está em uso. Por conta disso, o desgaste é menor.

 

Porém, a calibragem com nitrogênio exige que seus pneus estejam frios, sendo que o carro deve estar parado por no mínimo uma hora ou que tenha rodado menos de três quilômetros. Tudo isso faz com que a calibragem com nitrogênio seja mais complexa de ser realizada.

 

Por que é importante calibrar corretamente os pneus?

 

Um pneu com calibragem feita de forma incorreta (ou que não recebe calibragens frequentes) pode passar por diferentes tipos de problemas.

 

A começar pelo desgaste irregular, que acontece com frequência em pneus que não são calibrados da maneira correta. Isso porque, quando cada pneu está com um nível de ar, pode ter desgastes desiguais, impedindo o aproveitamento máximo do item.

 

Como consequência do desgaste irregular, seu veículo pode ficar desalinhado. E, neste aspecto, além do gasto com o alinhamento, há o risco para a segurança do condutor.

 

Um pneu com calibragem inadequada também pode “forçar” o motor do carro a compensar uma dificuldade no atrito com a estrada. Assim, além do desgaste do pneu, o motor também fica desgastado.

 

Por último, se o seu veículo chegar ao ponto de estar com tantos desgastes e um funcionamento irregular, a sua segurança está sendo colocada em risco. Ou seja, o que começa com um pneu descalibrado, pode se tornar algo muito mais grave.

 

Por isso, lembre-se de fazer a calibragem dos pneus de maneira correta, no prazo certo. Vale até criar um lembrete no seu smartphone, para não perder a data de renovar a calibragem.

Assim, você garante que seu veículo vai funcionar com mais qualidade, para que suas viagens sejam sempre seguras.